• Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size

Funcionários querem a rádio MEC de volta ao Ministério

SOAMERCBrasil - A Sociedade dos Amigos Ou­vintes da Rádio MEC (Soarmec) propôs, em assembleia na tarde do dia 31 de outubro, que a Rádio MEC volte a estar ligada ao Mi­nistério da Educação, órgão ao qual originalmente pertencia. Hoje a rádio especializada em música clás­sica faz parte da Empresa Brasil de Comunica­ção (EBC).

A Soarmec acusa a EBC de promover uma descaracterização da rádio. Os funcionários e ex- funcionários fizeram um acordo para Justiça e o Ministé­rio Público para garantir a vol­ta ao antigo ministério. A ideia é buscar também uma interface política em Brasília.

“Queremos que a rádio vol­te ao seu ministério de direito. Roquette Pinto não a doou pa­ra a Secretaria de Comunica­ção Social (Secom)”  disse Re­nato Rocha, um dos diretores da Soarmec. A Rádio MEC enfrenta uma crise desde março, quando a sede foi interditada após laudo do Ministério Público.

De acordo com fontes ligadas à rádio, desde janeiro deste ano, centenas de profissionais da emissora no Rio estão sendo demitidos, entre os quais jornalistas, produtores executivos, apresentadores, locutores, operadores de áudio e técnicos de manutenção.

Consultada, uma funcionária da emissora disse apenas que as demissões são necessárias para “dar lugar a concursados”.

O motivo é que a Associação de Comunicação Educativa Roquette Pinto (Acerp), empresa responsável pela manutenção da rádio, está sendo enxugada para que passe a cumprir uma missão marginal à Empresa Brasileira de Comunicação (EBC), fundada em 2007 para gerir as emissoras de rádio e televisão públicas. A mudança estava prevista na lei que criou a EBC, mas havia sido evitada até agora através de duas Medidas Provisórias (MPs), que conseguiram estender o tempo de ‘vida útil’ da Acerp, e consequentemente o emprego dos profissionais da estação três anos a mais que o prazo previsto em lei.

A rádio MEC, a mais antiga emissora do país e a única que ainda mantém uma programação educativa e cultural, corre o risco de ser extinta, ou pelo menos de perder sua programação voltada para a música clássica.  Na última sexta-feira, 25 de outubro, o apresentador Lauro Gomes Pinto, do programa Sala de Concerto, se despediu dos ouvintes, anunciando que havia sido demitido e que o programa seria cortado. Lauro não foi o único.

A coordenadora de comunicação da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), Márcia Pinto, nega denúncias de descaso na  preservação do acervo das emissoras MEC AM e FM do Rio de Janeiro.  As denúncias foram feitas por novos e antigos funcionários da rádio assim como membros da Sociedade dos Amigos da Rádio MEC (SOARMEC), que prevêem o desmonte das emissoras na medida em que a EBC passará a geri-las ainda este ano, substituindo a Associação de Comunicação Educativa Roquette Pinto (Acerp). Na última edição de “Amigo Ouvinte”, jornal da SOARMEC, que traz fotos de parte do acervo abandonado na sede da rádio, foi questionada também a falta de clareza da EBC quanto à condução da reforma prevista na sede, na Praça da República.  Márcia Pinto, porém, garante que o acervo está sendo “mantido em condições adequadas” e que a reforma prevê a preservação das qualidades acústicas e outras características do estúdio.

Uma petição pública para salvar a rádio MEC, lançada no site Avaaz no último sábado, 26, já recolheu quase 3 mil assinaturas em menos de dois dias.

Fonte: O Globo e Opinião e Noticia

Publicado em: 07/11/2013.

VEJA TAMBÉM

COMPARTILHE

FACEBOOK

Twitter

TAGS


kerajaan cerita horor gosip terbaru berita terbaru windows gadget toko game